Total de visualizações de página

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Borboletando.

Borboletando.

Pétalas macias
e um perfume suave,
inspirando a noite.
Luzes de estrelas
expulsando tristezas.
Raras belezas.

Muitas perguntas.
Vou selecionar uma:
- É a maluca da lua
quem dá vida
às aveludadas asas

da borboleta?

Cecília Fidelli.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Cartão Poético

Reputação e Caráter.

As circunstâncias
entre as quais você vive
determinam sua reputação.
A verdade em que você acredita
determina seu caráter.
A reputação
é o que acham que você é.
O caráter
é o que você realmente é.
A reputação
é o que você tem quando chega
a uma comunidade nova.
O caráter
é o que você tem
quando vai embora.
A reputação
é feita em um momento.
O caráter
é construído em uma vida inteira.
A reputação
torna você rico ou pobre.
O caráter
torna você feliz ou infeliz.
A reputação
é o que os homens dizem
de você junto à sua sepultura.
O caráter
é o que os anjos dizem de você
diante de Deus.

Arnaldo Jabor.

sábado, 17 de setembro de 2011

Meu endereço de e-mail

ceciliafidelli@hotmail.com

fragilidade.

Fragilidade.

Infelizamente,
o coração não é uma máquina
que não quebra...
Quem não quer
seu amor por perto?
Se ele realmente
virá pra atuar ou não,
envolver a alma
como uma luva...
É uma questão de sorte.
No meu caso,
não é da renovação de contrato.
Algo precisa ficar bem claro.
É apenas uma questão
de apagar a utopia,
e reinventar
outro sonho.

Cecília Fidelli.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Valores.Morais.


Presente movimentado.

Precisamos
de alguns séculos ainda
para redirecionarmos a terra.
Até agora o globo girou
no sentido contrário.
Tão incerto

quanto alcançarmos as estrelas.
Tão certo como o sol
que se põe no leste:
- Regeneração,
é vislumbrar hoje,

o ontem.
Terrível.  

Pra lá de conturbado.

Cecília Fidelli.


quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Às vezes, o amor, é uma... armadilha.

Prazo de Validade

12 de Outubro - Dia da Criança

Nuvem Longa

15 de Outubro - Dia dos Professores

Mosquito da Malária

Mosquito da Malária

Hoje quem defende a Amazônia
é o mosquito da malária,
se não fosse esse mosquito
a floresta virava palha,
salve, salve, salve ele
viva sua febre incendiária
o maior ecologista da Amazônia
é o mosquito da malária,
não adianta SUCAM
jogar DDT na sua área,
super-defensor da Amazônia
é o mosquito da malária.

Eliakin Rufino.
(Sou sua fã)

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Transformação.

Transformação.

Aparenta ser o que não é.
Vai de plástica ou de fotoshop.
Diz que tem uma paixão,
mas morre de solidão.
E é invejada.
Mal sabe
que pode se tornar
bonita por dentro
e ter uma alma invejável.

Cecília Fidelli.

Paz - Por Laerçon J. Santos


segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Pensamento elevado.

Que ela viaje eternamente
lembrando sempre a todos
que é o símbolo da paz!
Que transporte reflexões
em suas asas
a todos os povos.
Que o mundo se transforme
em um imenso paraíso.
Que os homens,
como irmãos,
se dêem as mãos
e possam seguir
a passos largos
ùnicamente no caminho do bem.
Que possamos num futuro próximo
viver
na mais plena harmonia.

Cecília Fidelli

Induvidàvelmente.

Induvidàvelmente.

Somos passageiros na terra,
mas não estamos em férias.
Só a humildade não corrompe.
Sumidades da inteligência
devem conduzir
e dar as mãos
às inteligências retardatárias.
Fechado?
Um ajuda com a caneta,
outro ajuda com a enxada.
Somos todos iguais.
Somos todos servos do Eterno.

Cecília Fidelli.

domingo, 11 de setembro de 2011

Duas faces


Duas faces.

Livres,
desejamos alguém
que nos aprisione.
Aprisionados,
desejamos
momentos de solidão.
Reflexões e sentimentos
se confundem no imaginário.
Virar o jogo
e virar de novo...
Debates íntimos.
Nossos corações
vivem divididos
entre a guerra
e a paz íntimas.
Não compreendemos
nossa própria natureza.
Cultivamos ideais de felicidade perfeita
e de infelicidades verdadeiras.
Ou nos trancamos
a sete chaves
ou nos liberamos
em vãs desenvolturas.
Vivemos inventando
utopias solenes
e ilusórias filosofias.

Cecília Fidelli.

sábado, 10 de setembro de 2011

A mídia precisa ler isso.

Por razões óbvias.

Espertas são as borboletas,
que estão usufruindo como ninguém,
da paz da primavera.
E não venha me dizer
que é porque ela nunca
se repete.
(A primavera, viu?).
- 11 de Setembro -
Sugiro pensarmos nessa paz,
e não exaltarmos as guerras.

Cecília Fidelli.

Sem chão.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Conver$a Re$ervada.


Shoppinotizado?

A mídia diz tudo.
Até que calçado você deve usar.
Pisa firme,
ma$,
pega leve.
Aproveite a liquidação!
Imperdível!
Tudo em um só lugar:
- No seu bolso.
Cuidado pra não ficar tonto
nem dar uma de tonto.
Hipnose não faz promoção,
nem dá desconto.

Cecília Fidelli.

domingo, 4 de setembro de 2011

Realce!!!

Realce.

Primavera
pra embelezar,
não, superficialmente.
Ela é linda!
Mistura perfumes,
como a gente,
especìficamente,
pra encantar.

Cecília Fidelli.


Sobre a relva.

Sobre a relva.

Quando ele inclina a cabeça
em meu ombro
e fecha os olhos
para pedir um abraço carinhoso,
minha voz se cala
e sinto os agitos do amor.
Suave envolvimento.
Luzes internas se ascendem,
exteriorizando um mundo a dois
de arregalar os olhos.
Semblantes transfigurados
e os privilégios dos carinhos.
O que acontece depois
são rajadas de ventos,
multicoloridos.
Não conseguimos
mais ficar em pé depois.

Cecília Fidelli.


sábado, 3 de setembro de 2011

Versificador.


Não é neurológico nem clínico.


Não é neurológico nem clínico.

É natural nos querermos livres,
possíveis de vida plena
e verdadeiramente felizes
sustentando sempre um sorriso.
É natural querermos uma valsa
num salão romântico
pelo menos,
uma vez na vida.
Adoramos inventar sonhos
no desejo de soltar a franga.
Levantamos e acordamos
como se estivessemos
com as ilusões nas mãos
todas consecutivas.
Se a vida aumenta o grau de dificuldade,
ou enfrentamos ou nos calamos
em lágrimas, em depressão.
Entretanto,
enfrentar os medos é estar de volta,
reaparecer pra sí mesmo,
dar a volta por cima.
É mostrar a cara
mesmo com dúvidas e razões.
Fugir da raia?
Não.
Cair e levantar, sem se embriagar.
Ânimo nisso!
Jorrar lágrimas,
é acumular perdas.
Dá de você pra você mesmo (a).
Enquanto estamos "mortos"
não sentimos,
apenas enfatizamos
e espalhamos desperdícios.
E o que é pior,
podemos gerar
companheiros de equipe.
Vamos à luta.
Sou sua companheira de ring.

Cecília Fidelli.


sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Será agora




Será agora
Sera vergonha do vestido
rasgado... manchado
Seria por causa das primaveras
ou as rugas, são dos verões
da estrada
Agora enfeita o final, com festa,
Siga através da fogueira
Não queimariam teus pés
Têm calos, não são de criança
Acredite, olhe no espelho
dos banheiros
Brinque de inflar
Coloque o abadá da escola
Se joga de cara sem espora
É aniversário da aurora
Está amanhecendo
Ela com aura ainda faz sarau
e esmaga tua estrada ...
Assuma teu vulto que já vai
lá longe ... inflado quem nem
fole de acordeon.

Sulla Fagundes.


Sonho de Mulher.


quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Nascer/Morrer.

Passo a passo.

Vir ao mundo cheio de planos
para uma vida longa e saudável.
Abrir os olhos
para um dia fechar os olhos...
É pràticamente
como acordar pra dormir,
acalentando sonhos
a todo momento.
Nesse meio tempo,
escalar a vida,
degrau por degrau.

Cecília Fidelli.