Total de visualizações de página

sábado, 31 de dezembro de 2011

2012 - Há vagas.



Vamos marcar presença em 2012
depois da queima de fogos,
depois dos shows,
com os pés fincados na areia,
e com aquela imensa corrente:
- "Pra Frente"!
Que nada nem ninguém
estrague essa festa.
Que o clima
invada também alma
dos que preferem se isolar,
deixando as exaltações de lado.
Nas grandes cidades
ou nas pequenas aldeias,
que o último dia de 2011 se vá
levando toda obscuridade.
Novo início, novos desígnios.
Que os caminhos dessa estrada
nos concedam muita força de vontade,
muita garra!
Que estejamos prontos a viver
sempre visando o dia seguinte
com muita paz, muita poesia
e
muito amor pela vida!

Cecília Fidelli.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Paz e Poesia pra nós em 2012.

Ânimos apostos pra receber 2012?
Planos em mente?
Emagrecer,
fazer aquela viagem
que você sempre sonhou,
comprar casa, comprar carro?
Vestir branco
na noite de 31 de Dezembro de 2011,
fazer uma simpatia
de mãos dadas com a esperança?
Tempo e lugar
são idéias abstratas
no denso Universo Terrestre.
Nossa evolução são as demonstrações
e expressões reais de cada época.
Fatos, emoções, reações e providências.
Sagrado,
só o auto-conhecimento,
homens entendendo homens
controlando os impulsos imperfeitos
é o pulo do gato resolvido e esperto.
Em 2012 vamos viver intensamente,
mas em sintonia constante
com o Senhor dos Universos.
E crescer visando o bem comum
pra que todos cresçam.
O resto são apenas
milênios atrás de milênios
em desperdícios de plantações vãs
em terrenos inférteis.

Cecília Fidelli.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

2011 - Missão cumprida?

Ano velho, tchauzinho!
Inesquecível talvez
ou próprio a ser esquecido.
Já temos à mão
os fogos de artifícios
e o champagne.
Em quase todos os países do mundo,
distribuição farta de sorrisos, abraços
e uma única emoção se aflorando.
A vida em ênfase
como se estivesse se restabelecendo.
2012 já está quase na mão.
Mais 12 meses
nos envolvendo por inteiro.
Outro início.
Novos recomeços.
Mais uma chama de esperança
que se ascende arrebatadora.
Mais uma caminhada
resumida em duas palavras:
- Amor e Paz que até então
se mostraram meio preguiçosas.
As melhores intenções
já estão sendo expostas.
Sensibilidades apontando os sonhos
a serem realizados e os possíveis.
Tudo começa, tudo termina.
Sete ondas, sete pedidos.
À cada dia novas possibilidades
entre as ilusões e as lutas.
Um brinde ao novo.
Que venha construtivo e harmoniozo.
É o adeus às coisas ruíns que se foram.
Logo mais, em Janeiro, estréia 2012.
Deus queira que
com muito dinheiro no bolso,
e saúde pra dar e vender.
Mesmo se você estiver negativado.
Que 2011, apesar dos pesares,
tenha um final feliz pra todos.
Que tudo o que é errado,
vire certo.
Que 24h por dia, por mais 365 dias,
você tenha nos olhos o brilho
de todas as estrelas.
E vamos consertando o calendário,
remendando as coisas...

Cecília Fidelli.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Única página do meu Diário.

Quando engravidei a primeira vez
de um menino,
eu queria um menino.
Quando engravidei a segunda vez
de outro menino,
eu queria outro menino.
E tive, os dois meninos
que pedí a Deus.
Não vieram embrulhados pra presente.
Mas são os melhores presentes
que já recebí em toda minha vida.
Nos partos dos baby's,
talvez por terem sido cesárias,
não sei, a vista escurecia.
Imagine que Castelo Branco
disse uma vez que
" O amor é uma luz
que não deixa escurecer a vida".
Mas não, heim?!
Em momentos verdadeiramente
incríveis, deixa sim.
Ufa! E como.
Se posso chamar de sufoco,
fiquem tranquilos.
Duraram apenas alguns minutos.
O coração não batia batucava.
Não via a hora de dar banhinho
e trocar fraldinhas.
Com a diferença
de idade de dez anos que eles tem,
diria que tenho dois filhos únicos.
Pude curtir um a um
e integralmente suas meninices.
Hoje são dois adultos,
conversam de igual pra igual,
sempre posso contar com eles
e eles sempre podem contar comigo.
O grande lamento,
é que não brincam mais de carrinhos.
Têm suas próprias vidas
com uma bela lista de amigos.
Dois homens,
que nunca falaram grosso comigo.
Espero que tenham enterrado
e esquecido uma ou outra
chinelada no traseiro.
Que tenham aprendido
que na vida tudo passa.
As brincadeiras na rua,
uma ou outra birra na calçada
e as quedas de bicicleta.
Que abandonar berço e chupeta
é ganhar preocupações
e procurar soluções.
Que tudo na vida tem dois lados
e que devemos optar sempre,
pelo lado positivo.
Quase não ditei regras
porque sempre tiveram boa índole.
Brinquedos jogados pela sala,
febrinhas, vacinas,
choros noturnos.
Mas à cada noite que eu levantava,
as emoções eram dobradas
quando olhava para aquelas carinhas,
aquelas risadinhas, os beijinhos,
e minh'alma adormecia.
E as mãozinhas?
E os pèzinhos?
Amor de filho
é um sentimento tão forte,
e tão indescritível!
Parece que foi ontem
que a maternidade me disse:
- Responsabilidade.
Mas você vai adorar.
Ela só conseguiu me encorajar.
Nunca havia pensado
em escrever sobre isso.
Afinal existem milhões
de mães pelo mundo
que direcionam seus filhos
amparando cada um
dos seus passinhos.
Nunca ensinei
que o mais importante na vida
é vencer, mas viver.
E eles aprenderam que as derrotas
apenas indicam novas rotas.
Nunca forcei
a comerem legumes ou verduras.
Mas esse erro eles mesmos corrigiram.
Quando tenho oportunidade
de reunir minha "grande" família,
lembro de algumas brincadeiras
e daquelas babaquices infantís.
Nesse caso, falo de mim.
Acho que todo mundo já conhece
aquela frase que anda circulando por ai:
"Se quiserem falar de mim,
falem comigo".
Sei coisas terríveis a meu respeito"
E não precisa ser Natal.
Só o fato de estarmos juntos
  qualquer data é muito especial.
É isso.
Meus pequenos lançaram-se ao mundo.
Mas em meu mundo particular,
eles sim,
são os melhores do mundo.
Marquei dois belíssimos gols
no jogo da vida!

Cecília Fidelli.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Cristianismo - Passe Adiante.


Me parece
que cada enfeite de natal
tem seu próprio significado.
Que doze bolinhas
maiores que as outras,
representam
doze verdades do Cristo.
Dizem que fazer piadas
sobre o natal, é blasfêmia.
Uns acreditam
que são os enfeites
que deixam o natal mais bonito.
Outros, que gastar dinheiro
com objetos que consideram inúteis
é uma grande bobagem.
Teriam mesmo significado
ou trata-se apenas de tradição?
Enfeitar a casa,
pendurar bolinhas na árvore,
acrescentar laços,
estrelinhas, anjinhos,
pisca-pisca e enfeitar a alma.
Todos conectados o Cristo-Menino,
com presenças divinas,
com forças superiores,
com o sagrado.
O presépio é o grande cenário
sob um céu repleto de nuvens azuis,
nuvens-véus.
Do pão nosso de cada dia
à ceias fartas
o clima nos invade, contagia.
Cores, corais, magias,
Luzes, muitas luzes coloridas,
tudo integrado, harmonizado.
Deixa entrar, deixa ficar
em nome do desejo
de um reino de paz.
Mesmo se não houver presentes,
amigos, vizinhos amigos,
ou um árvore de natal.
O que importa é o Cristo.
Só Ele é capaz
de proporcionar uma noite feliz.
Adulto ou Menino.
Não no meio da sala
repleto de velinhas mas,
dentro dos homens
que se tornam mais fraternos.
Natal, Noel, abrem fronteiras.
Todo mundo esbanja reflexões.
É a época do ano
que mais me comove.
Porque jogamos no lixo
aquela coroa de espinhos,
e ficamos só com os pinheirinhos,
verdinhos, verdinhos.
Estamos entre o Natal e o Ano Novo.
Entre o Eterno e a Paz.
Só precisamos trabalhar mais para isso,
tirar real proveito
daquele lado comercial.
Tocar e ser tocado.
Agradecer, perdoar, dividir.
Quando bons sentimentos se afloram,
amor e bondade ganham efeitos.
Aí sim, as festas,
ganham um gostinho especial.

Cecília Fidelli.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Amigos

Amigos.

Meu blog só faz sentido,
pelas visitas
e comentários de vocês.
Distantes ou não,
é assim que nos encontramos.
Essa troca de cultura
me fortalece
incentiva e aumenta
minha produtividade.
Somos todos especiais
do ponto de vista da palavra.
Nosso tempo na terra
é muito curto.
E durante esse tempo,
uniões espirituais se concretizam.
Sem dúvidas
o que vamos levar
e o que vamos deixar.
Almas ansiosas,
cheias de energias
detonando poesias.
Por isso temos
um motivo a mais que os outros
pra vivermos intensamente
e comemorarmos
mais um ano que se finda
e outro que vai chegar
deixando a vida rolar,
considerando cada linha
que não temos como evitar.

Cecília Fidelli.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Espontaneidade da Natureza.

Caramujos.
Pequenos heróis que se adaptam
às mais variadas regiões
e circunstâncias.
Nas encostas,
nas matas,
nas cidades.
Fortes, que uns comem
outros esmagam.
Quem sabe se por raiva ou vingança,
trazem doenças aos homens.
Nunca vão ter dores no abdome.
Gigantes "Molóides".
Um ser puro.
Não se droga, não bebe, não fuma,
no entanto,
não podemos manuseá-los sem luvas.
O que me leva a crer,
que somos mil vezes menores.
Vivemos em terrenos úmidos
mesmo sem chuva
causando nervosos distúrbios.
Proliferamos moluscos.
Poluímos, poluímos, poluímos
e reincidimos.
Absurdos encaracolados
por toda parte.
E então combatemos
a própria insensatez
com sugestões
de como melhorar o mundo.

Cecília Fidelli.

Depurando o Natal.

Papai-Noel,
embora seja um aliado
do consumismo,
ilustra muito bem
como é que tem que ser
o Natal e o Ano Novo,
pra todo mundo.
É hora de renovar a esperança?
Então não vamos deixá-la morta.
Vamos ressucitá-la.
Resgatá-la da infância.
E acreditar
que estamos em época de transição
a caminho da evolução.
Que paz e igualdade na Terra,
são possibilidades
compatíveis com o universo.
E que amanhã,
será muito melhor do que hoje.

Cecília Fidelli.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

E... Feliz Ano Novo !!!

Faça de sua vida
um jogo de futebol.
No centro coloque você
e comece driblando os invejosos,
chutando os traidores,
mandando para escanteio os idiotas,
dando cartão amarelo
para os inconvenientes
e vermelho para os inimigos.
Marque quem te interessa,
não ataque quem você gosta,
mate no peito
a saudade de quem você ama
e por fim
faça um GOL de felicidade
que eu estarei
na arquibancada da vida
torcendo por você.

Luciano Bellocchi.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Dr. Sócrates - Ícone do Futebol Brasileiro.

Homenagem de Marco Souza
- Ilustrador e Cartunista -
ao Dr. Sócrates
Brasileiro de Souza V. de Oliveira

O craque nasceu
em 19 de Fevereiro de 1954
e desembaraçou-se dos laços físicos
aos 57 anos.
Penso que teve uma vida plena.
Que sua passagem tenha sido suave.

Cecília Fidelli.

Natal e Ano Novo.

 Boas Festas!!!
♫ ♫ ♫

O tempo
pode levar muitas coisas,
mas a alma
o tempo não arrebata.
Nem em fúria,
nem na mais plena paz.
Dores, prantos, desencantos,
são na verdade procuras.
E quem procura acha.
Mas entre o ontem e o agora,
tudo passa.
Melancolias, nostalgias,
são apenas particularidades
que até sem perceber
adquirimos.
Embalam tristezas,
produzem mágoas,

mas podemos fabricar mel
como as abelhas
apesar de nossas incoerências.
Sorrisos,
são como fogos de artifícios,
multicoloridos
e se espalham no ar.
Basta explodir e constatar.
A lua,

as estrelas...
★ ☆ ★ ☆ ★
Veja como são pequenas.
Entretanto,
se em vez de só nos fixarmos no chão,
dirigirmos o olhar ao alto,
captamos suas essências.
Agora imagine,
e se Deus resolvesse apagá-las?
Elas nos vêem como as vemos,
mas sem brilhos.
Então não se apague.
A questão é que milagres
só nós mesmos podemos realizar.
Leve esses fluídos pra 2012.
E Feliz Natal!!!

Cecília Fidelli.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Anomalias Sociais.

Anomalias sociais.

Todos nós esperamos
por um futuro melhor.
Um futuro que conceda ao homem
progressos realmente avançados.
Um futuro que possa
recompensar ou punir
uma vez que praticamos
o bem e o mal.

Cecília Fidelli.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011



Fundo político e atual.
Anomalias sociais.
Todos nós esperamos
por um futuro melhor.
Um futuro que conceda ao homem
progressos realmente avançados.
Um futuro que possa
recompensar ou punir
uma vez que praticamos
o bem e o mal.

Cecília Fidelli.


Toda arte é fruto de um sentimento
e procura o artista transmití-lo.
Visto-me de toda arte
que trás algum ensinamento.

Cecília Fidelli.

Minha admiração por Djanira Pio.

Dor

Caminhei olhando para o chão.
Seguí distraída
sem ouvir os pássaros.
Não percebí o próximo
e me julguei
sòzinha.
Estranha vivente
não pertencente.
Inútil
foi viver
como morta,
enquanto viva.

Djanira Pio.

Do livro: Olhares

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

10 de Dezembro - Dia do Palhaço.


O palhaço.

Alegria, sonho, fantasia,
show, espetáculo,
música e poesia!
Quando um circo chega à cidade,
logo nos vem à mente,
a figura do palhaço,
com seu traje engraçado,
multicolorido
e a bolinha vermelha
na pontinha do nariz.
Nos dias de hoje,
ele sim é um ser equilibrado.
Só ele é capaz
de nos fazer chorar de tanto rir.
Só ele é capaz de enxugar lágrimas
através de gargalhadas,
através da mais espontânea alegria.
De fazer a gente esquecer
dos nossos próprios picadeiros.
Os picadeiros de cada dia.
O palhaço é o cigano da arte.
Em arquibancadas pobres ou ricas,
aplausos pra esse perna de pau
e todo nosso respeito.
De tempos em tempos
ele chega e anuncia:
- Respeitável público!
Ninguém aguenta de ansiedade,
não importa a idade.
Afinal, isso não acontece todo dia.
Sob a lona, sob luzes,
dezenas e dezenas
de crianças e adultos
transformam-se
em verdadeiros palhacinhos sem circo.
Ah! O palhaço.
Se ele chora não sei.
Se é ladrão de mulher também não sei.
Só sei que disfarça as dores
dos nossos próprios
contorcionismos.

Cecília Fidelli

Desencanto de Natal

Desencanto de Natal.

Para criança moderna,
papai-noel é um velho-moço,
que em Dezembro,
tira a barba da gaveta
e renasce nos shoppings,
onde o amor e a ternura
sobressaem cada vez mais das lojas,
para uma noite de natal
de aparente bondade fraterna.

Cecília Fidelli.
- Do livro: Coisa Nossa

* ☾☆ ♪♪ ♪♪ ★ * - Dezembro, vem o Natal!

8 de Dezembro
Dia de Nossa Senhora da Conceição
padroeira de Portugal
e tradicionalmente,
dia de montar a Árvore de Natal.
Na minha opinião
o mais bonito dos enfeites.
Nos preparamos mais uma vez
para a chegada do Menino-Jesus.
Todo Cristão se expressa nessa época.
É uma troca universal de vibrações boas
quando nos despojamos parcialmente
do invólucro terrestre e as aspirações
se voltam para a espiritualidade,
solidariedade, caridade.
Sob o olhar do Cristo,
um mutirão de almas se sensibiliza

em favor especialmente da Paz Mundial.
Quem não sonha
com esse imenso milagre?
Quem não deseja
ver o fim de todas as guerras,
de todas as misérias na terra?
Poucos, quero crer.
Quem não almeja seres humanos
infinitamente melhores
convivendo como verdadeiros irmãos?
Que nossa Árvore de Natal
venha carregada dessa paz,
de muita poesia e
transbordando de amor pela vida.

Com carinho,
Cecília Fidelli.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Resignação

Coração reprimido,
apertado,
por ter sido maltrado
pela maledicência
acaba enxergando a vida
de uma maneira
muito mais ampla,
se direciona os olhos de Deus
sobre a pessoa
que disparou a maldade.
Assim, adormece a dor
sem rancor
pela semente
que o infeliz plantou.

Cecília Fidelli.


domingo, 4 de dezembro de 2011

Santa Estupidez.

Santa Estupidez.

Alguma coisa não bate.
Enquanto os homens
enxergarem o Cristo assim,
ao invés de infinitamente
melhorado na aparência,
expondo os ensinamentos
que deixou,
parece até que pra eternidade
e enquanto não O seguirem
através dos seus exemplos,
terão que ser socorridos:
Morrendo como vivem.
Em exaustivas pregações.
Talvez crucificado
pràticamente há 2012 anos
sem chance de se defender,
seja mais chamativo.
Mais Bíblico em teorias
que não nos levam
a lugar nenhum
já que não praticamos
as lições mais difíceis:
Ajudar os infelizes
e perdoar os inimigos.
Portanto,
ajude a si mesmo primeiro,
renovando a ótica,
porque Ele com certeza,
apesar dos pesares,
já nos perdoou.

Cecília Fidelli.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Romântico Momento

Vem

Amor, vem bater à minha porta.
Fiz bolo de chocolate, tem refrigerante,
beijos e poemas.
Tem aquela comidinha gostosa,
cerveja... aquele jantarzinho especial.
Tem tv, internet, cafezinho,
muito papo e carinhos.
Tem boa música, você sabe, tem praia...
Se não quiser falar nada,
a gente se cala.
Pense numa mulher apaixonada
e multiplique.
No domingo, tem aquela refeição refinada,
apetitosa, podemos falar muito de amor,
relembrar os velhos tempos.
Não vou dar a mínima
pra chinelo no meio do caminho,
roupas jogadas no chão do banheiro,
Salvo seus carinhos e seus beijos,
juro que não quero mais nada.
Chega de viver de lembranças.
Quero teus olhos, teu abraço,
quero colo, da meia noite à meia noite.
Sem essa de que o que os olhos não vêem
o coração não sente.
Você não sente que não te ver
é o meu maior contratempo?
Vem que eu estou muito ansiosa.
Vamos sentir juntos o LUAR,
com seus toques.
A gente pode se amar no mar,
na rede, na cama...
A gente pode deixar esse negócio de horario,
de lado e ficar de papo pro ar.
Que os dias e noites se acabem.
Rabisco seu nome, faço versos,
venho tecendo esperanças 
de que o nosso amor,
é e sempre foi uma eterna nascente.

Cecília Fidelli.

Pra eu ouvir.

Pra eu ouvir.

Viver é uma aventura,
é sempre mais um passo,
mesmo que seja rastejante.
Constantes alturas, muitos tombos.
As noites...
foram feitas pra mim.
Na verdade, fomos feitas uma pra outra.
Durmo insônias em versos sem fim.,
acreditando que estou fazendo a coisa certa.
A vida é um paraíso de embates constantes.
Nos jardins dos meus caminhos,
toda hora é hora de partir.
As noites seguem.
A vida segue,
por isso é que a gente tropeça
e quase sempre... enlouquece.
Se fôsse tudo direitinho,
sem momentos de gritos,
não haveriam chôros
que nos trouxessem sorrisos.

Cecília Fidelli.

Inimiga máxima!!!

Inimiga máxima!

Saudade, é aquele obstáculo
que nos faz recuar ao passado.
Aquela pedra no caminho.
É tropeçar e ir à via de fato.
Aí é só implorar
pra que alguém nos atropele
pra matar

aqueles pensamentos malévolos
que a vida por vezes nos concede
com o objetivo de torturar.

Cecília Fidelli.

Suscetível.

O ar de desconfiado
é seu encanto pessoal.
Assim... meio calado.

Eu aqui,
entre músicas e sonhos.
O que nos separa neste instante
são exatas duas horas.
  E o poema vai retratando a saudade.
Exatas duas horas...
Eu sem seus braços,
sem seus abraços.
  Me alimentando de palavras,
mas sem nenhuma solidão.

Cecilia Fidelli.

01 de Dezembro - Dia Mundial do Combate à Aids.

Dia Mundial Contra a Aids.

Informações,
Grupos de Discussões...
Mudar hábitos:
Amor todo mundo deseja.
E sexo, invàriavelmente,
não passa em branco.
Cuide-se.
Porque o HIV não escolhe,
não vê cara,
nem vê quem.
Colher os frutos dessa árvore
é subtrair ramos de vidas.
Quem ama
evita o vírus perverso
pra não transmití-lo à ninguém.
Encontramos muitas encruzilhadas
pelos nossos caminhos.
Nem sempre podemos optar
pelas prediletas.

Às vezes,

as preditas é que compensam.
Circunstâncias imprevistas,
devem ser protegidas.
Camisinha no bolso,
camisinha na bolsa.
E pronto,
está em suas mãos.
Atração,
vem dos olhares.
Mas devem operar
no coração.

Cecília Fidelli.